sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Feliz 2012


Observação: Esse texto foi publicado originalmente no novo endereço do blog, no wordpress
Peço que os leitores antigos e novos passem a acompanhar as postagens no "novo" blog :)

Oi pessoal, faz um bom tempo que ando sem postar, nem para dar notícias minhas. Vou me justificar, até porque devo duas resenhas de booktour que sairão em breve, prometo!
Antes de começar, quero deixar aqui meus votos para que 2012 seja um ano excelente para todos os leitores do Nooblandia - ok, para os não leitores também, mas para os que já vem me acompanhando a mais tempo o desejo tem que  ser maior, não é?! (: Voltando, que todos tenham um ótimo ano, que todas as suas metas se concretizem, que sejam felizes mesmo, que superem os obstáculos que vierem, enfim, que tenham sucesso. E claro, que tudo que acontecer seja acompanhado de um bom livro!

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

O Reino dos Sonhos - A Cidade de Cristal, de Natália Azevedo

E pensar que quando eu comecei a ler não imaginava que em pouco tempo estaria fazendo a resenha pré lançamento desse livro!

Conheço Elorá e o Reino dos Sonhos faz uns meses, pois fui uma dos leitores beta do primeiro livro da Natália Azevedo. Essa foi minha primeira "betagem" de um livro completo, geralmente era beta de contos, mas posso dizer que em vários momentos esqueci que estava sendo beta e me envolvia nas cenas e com os personagens. Adorei várias delas, especialmente as partes do Reino dos Sonhos. Acho que nada do que eu imaginar vai chegar perto de tamanha beleza, quem dera eu ter o dom de Elorá para reproduzir fidedignamente este paraíso. Ops, adiantei coisas.

Sinopse
"A trilha acabou bruscamente. Ao olhar para trás, não havia mais vestígios da sua existência, que loucura! Mas, ao olhar para frente, não estava preparada para o que veria. Uma paisagem única e perfeita: uma cidade construída inteiramente de cristal."

"Mais uma vez, o mesmo sonho estranho: a floresta misteriosa. Entretanto, havia algo mais bizarro do que o próprio sonho. Um perfume de flores dominava o ar do cômodo, uma doce lembrança da clareira. Acendi a luz. Sobre o travesseiro, repousava uma linda margarida, ainda úmida, como recém-colhida de um campo coberto por orvalho.

"Mais uma vez, o mesmo sonho estranho: a floresta misteriosa. Entretanto, havia algo mais bizarro do que o próprio sonho. Um perfume de flores dominava o ar do cômodo, uma doce lembrança da clareira. Acendi a luz. Sobre o travesseiro, repousava uma linda margarida, ainda úmida, como recém-colhida de um campo coberto por orvalho.Será que eu estava ficando louca?Como os demais sonhos naquela clareira, este havia sido nítido e quase real. Os meus pés pareciam ainda úmidos pelo contato com a grama. Porém, o perfume suave no quarto e a presença da margarida iam além de qualquer sonho, ultrapassavam o limite da realidade e, talvez, da sanidade."
"– Isso é uma loucura! Tudo bem, vamos considerar que você seja uma fada, mas e eu, onde eu entro nesta história? – perguntei para minha mãe.– Simples, você é uma fada também."



Até onde os sonhos podem nos levar? Elorá descobre que pode chegar quase ao infinito…
Dormir é diferente para Elorá, ela mergulha em uma nova dimensão através de seus sonhos. Um mundo habitado por fadas, tão lindo, tão difícil acreditar que seja real. Mas mesmo a beleza esconde seus segredos. A garota percebe estar mais ligada àquele lugar do que imaginava e teme perder o controle sobre seu próprio destino.
Dividida entre dois mundos, Elorá precisa dar conta de sua carreira, família e novo amor. Mas ao dormir, não poderá descansar, pois a solução de uma disputa entre clãs feéricos está em suas mãos. E se não tomar cuidado, os humanos podem ser os perdedores.
Entre nesta aventura, repleta de magia, amor, segredos e traições. Descubra como o poder dos sonhos pode transformar tudo.



Antes de ler esse livro já tinha tido o privilégio de ler um conto sobre como os pais de Elorá se conheceram, e depois dessa degustação fiquei doida para ver a história completa. Bom, os detalhes não aparecem aí. Elorá não faz parte de uma família exemplar, ela e seu irmão moram com uma tia, que não gosta muito deles - tenho certeza, até desconfiei que ela fosse do lado negro da força. A história que ela conhece a faz crer que sua mãe a abandonara ainda criança, sem que as razões fossem esclarecidas, porque sim, ela teve um motivo muito forte para isso.
Até transpassar a barreira para o Reino dos Sonhos, Elorá era uma garota absolutamente comum, com poucos amigos, de aparência delicada, um gosto muito peculiar para moda e amante da arte. Elorá pinta maravilhosamente bem, por isso entrou para a faculdade de artes. Parece que depois dessa transição (da escola para a faculdade) é que as coisas na vida de Elorá começam a mudar, e muito.
A história começa com ela sendo humilhada por sua professora-orientadora em uma exposição. Acontece que seus quadros são lindos, maravilhosos, hiper realísticos, mas ... uma realidade diferente, ou você vê por aí pessoas com asas normalmente? (Não considero época de evento de animes ok? rsrsrs)
Deste evento em diante tudo passa a ser diferente, a relação de confiança com a professora Iris (resistirei e não colocarei minha meia dúzia de ofensas a esta criatura) foi quebrada, e não é exagero dizer que o mundo de Elorá caiu. Não só caiu como passou a ser outro. Aos poucos revelações de um mundo onírico começam a aparecer, muito timidamente. O alívio por não estar louca imaginando pessoas com asas se mistura com o conflito da aceitação. Achei que essa parte de conflito foi bem trabalhada pela autora, não foi o caso de chegar na Cidade de Cristal e se mudar pra lá de mala e cuia, achando tudo ótimo. Foi difícil, não só pela própria história com sua mãe, como também Elorá não podia deixar as pessoas que amava: seu irmão, Felipe; sua melhor amiga, Leila, e Gabriel.
E se este fosse o maior conflito dela, ainda seria bom demais. Mas sua chegada no Reino dos Sonhos acontece num momento de crise nos dois mundos. Uma guerra está acontecendo no mundo das fadas, e ela interfere diretamente no "mundo real". E a posição de Elorá, as atitudes que tomará a partir do momento que pisa na Cidade de Cristal, poderão mudar tudo!

O Reino dos Sonhos- A Cidade de Cristal é um livro introdutório. Impossível lê-lo e não sentir vontade de saber mais. Como é o livro da chegada de Elorá ao Reino, e o momento é de tempestade, ela não conhece tudo, e, como é um livro em primeira pessoa, bem, estamos "limitados" ao que ela vai descobrindo. Existem muitos clãs de fadas, muitos reinos, muitos interesses... e muito a ser dito ainda. Espero ter o privilégio de continuar sendo leitora beta da Natália, para não ficar muito agoniada querendo saber o que vai vir depois rsrsr
Foi uma grande alegria saber que a Natália conseguiu uma editora para sua história, a Editora Estronho. O livro sai pelo Selo Fantas! O que é ótimo, pois a Estronho tem feito um bom trabalho de edição e diagramação.


Capa aberta 
E para você que leu esta publicação, e ficou curioso, a boa notícia: amanhã o livro será lançado!!! Isso mesmo, se você mora em São Paulo tem a obrigação de ir, e me contar como foi!  Eis o convite:




Ps: esta foi uma resenha contida e difícil de fazer, morri de medo de soltar spoilers. E também, ainda não conferi a versão final e impressa do texto, não posso falar mais, vai que algumas coisas mudaram. Mas assim que pegar o livro, faço uma nova resenha!

sábado, 22 de outubro de 2011

O caçador de andróides, de Philip K. Dick

Está mais do que na hora de tirar a poeira desse blog! O tempo tá corrido, não estou conseguindo ler nada de agradável nas últimas semanas, projetos, monografias... leituras acadêmicas conseguem ser enfadonhas, e o pior é que não se pode abandoná-las rsrs

O livro de hoje é fruto de uma dessas leituras acadêmicas, e não, não faz parte dos enfadonhos já que eu montei um projeto de mestrado com base nele e no filme Blade Runner.

O caçador de androides
Autoria: Philip K. Dick
Nº de páginas: 256
Originalmente intitulado Do androids dream of electric sheep? (Androides sonham com ovelhas elétricas?), Philip Dick nos conta uma história passada numa Los Angeles pós guerra, em 1992.
Publicada em 1968, no auge de conflitos políticos e econômicos que envolviam a corrida armamentista e rápido avanço tecnológico, é de se compreender essa visão caótica de um futuro não tão distante, afinal da criação até o ano narrado se passaram apenas 24 anos.

Logo no início do livro somos apresentados a Deckard e sua esposa Iran. Ela programou sua caixa de empatia para depressão por algumas horas. Deckard desaprova, tenta convencê-la a programar outra coisa, talvez assistir o programa do Buster Amigão, eles discutem. Deckard sai de seu apartamento para cuidar de sua ovelha elétrica, ninguém mais no prédio sabe que ela é artificial, afinal, desde que a poeira oriunda da Guerra Terminal tomou conta da Terra muitas espécies de animais morreram, e os animais de verdade se tornaram artigo de luxo. 
Hoje é um dia incomum, Deckard foi chamado para aposentar alguns replicantes fugidos da colônia de Marte, já que o melhor caçador de androides do departamento de polícia foi hospitalizado em combate com um deles.  Como Deckard descobre, esses replicantes (androides geneticamente modificados para serem mais fortes e inteligentes que os humanos, no intuito de explorar as colônias de outros planetas - já que a Terra está se tornando inóspita) fazem parte de um novo modelo da Rosen Corporation (uma das maiores empresas de replicantes atualmente), o Nexus-6.
O outro caçador perdera a missão quando foi ferido por um desses Nexus-6, que são de difícil identificação . Para não abater um humano em vez de um androide, criou-se, entre muitos testes, o Voight Kampft, que consiste numa série de perguntas de cunho psicológico para determinar as reações diante do que está sendo questionado. Por não terem empatia com animais e outros humanos, não conseguem passar no teste. E é com esse teste em mãos que Deckard vai à sede da Rosen Corporation para testar um desses novos modelos e um humano. Ai conhecemos Rachel, uma Nexus-6 com um diferencial, pois recebeu um implante de memória de uma parente do sr. Rosen, o que torna ainda mais difícil achar um resultado, já que a simulação de emoções está ligada à memória.

Agora começa de fato a história do livro. Uma vez que Deckard descobre como se certificar sobre as identidades dos androides fugitivos, ele tem meios de caçá-los. O grupo original começou a se desfazer, antes de pegar a missão, dois tinham sido abatidos, restando seis para Deckard. Ele ficou particularmente feliz, pois o prêmio por cabeça era alto, o que possibilitaria a compra de um animal verdadeiro. Outros personagens interessantes aparecem, como Isidore, Wilbur Mercer, Buster Amigão, o grupo de androides que tem uma relação muito interessante entre si...

Em meio a missão nós podemos ver um pouco da condição de vida daqueles que não migraram, a maioria das pessoas queriam morar nas novas cidades nas colônias, mas a viagem era cara e muitos eram rejeitados por terem "defeitos" como problemas genéticos, demência, entre outros (em muitos dos casos resultado da exposição à poeira), o que indica o desejo de uma geração melhor, quase perfeita. Além disso, os conflitos morais de Deckard e seus questionamentos sobre a sua relação com os replicantes refletem a crise da sociedade que permaneceu. Para os fãs de cyberpunk é uma leitura obrigatória, afinal Philip K Dick é um dos precursores do gênero. Para aqueles que se interessam por ficção científica, ou que tenha apenas assistido o filme Blade Runner, recomendo muitíssimo a leitura. O livro é bem escrito e envolvente, cheio de implicações sobre a sociedade da época, e das próprias experiências de Dick. 

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Entre o top 5 da Bienal do Rio (Editorial Record)

O título é autoexplicativo, mas não pude deixar de ficar feliz quando vi que na listagem dos 10 livros mais procurados durante a Bienal no estande da Record, estavam os seguintes títulos:


































Os preços que vocês vem são promocionais, podendo ser comprados diretamente no site da Editora. Frete grátis pro Sul e Sudeste (uma pena, o que conheço de gente de outras regiões que compram MUITO não é brincadeira, mas fazer o que né?!
Agora, se foi jogada de marketing ou não, não sei dizer, mas fiquei feliz de ver que entre os principais livros estão os livros nerds, isso quer dizer que nosso segmento está cada vez mais envolvido com livros *-*

sábado, 3 de setembro de 2011

O livro dos gatos na Bienal do Rio

Gente, quanto tempo que não dou as caras por aqui né?! Mas o stress me consome, enfim, numa outra oportunidade eu venho me justificar pela ausência.
Nesse meio tempo o blogger mudou a interface e eu tô detestando a "plus"ada que a google tá dando em tudo.
Enfim, vim pra noticiar mais um lançamento, desta vez da Llyr na Bienal do Rio.

Acontece hoje, as 14h, o lançamento de O livro dos gatos, mais um livro do Estevão Ribeiro, do qual eu já conferi com as tirinhas de Heitor e Afonso (recomendo!)



O Livro dos Gatos
Cinco gatos.
Cinco histórias.
O destino de um mudando a vida de todos.











O livro dos gatos
Texto e ilustrações de Estevão Ribeiro
Dimensões: 20 x20 cm
68 páginas
ISBN: 978-85-64298-36-1
Preço de capa: R$ 25,00







Em uma grande cidade, cinco felinos vivem suas vidas. Um é o bichinho de estimação de uma enfermeira, outra viva na casa de uma madame. A casa de ração desse bairro é o lar de outra gatinha, enquanto um gato que era branco mas ficou cinza vigia a oficina do borracheiro. Somente o gatuno ronda livre pelas ruas. Estão separados, mas o Destino faz com que se unam novamente para atender um último pedido.
“O Livro dos Gatos” de Estevão Ribeiro fala sobre diversos temas relacionados ao convívio entre pessoas e animais nas cidades, como abandono, adoção, segurança, morte e cooperação. Também será usado como uma maneira de alertar as pessoas sobre as condições – muitas vezes precárias – em que vivem os animais de rua e como parte de uma campanha para arrecadar fundos para Organizações Não Governamentais que auxiliam animais abandonados. Já foram escolhidas duas ONGs, uma em São Paulo e outra no Rio de Janeiro, que a cada livro vendido irão receber 5% do preço de capa como doação para manterem o seu trabalho.

Sobre o autor
Estevão Ribeiro nasceu em Vitória/ES em 1979 e publicou seu primeiro trabalho em quadrinhos no jornal Notícia Agora em 2000. Desde lá, escreveu roteiros para mais de 600 páginas de histórias em quadrinhos, inclusive para a Turma da Mônica. É autor dedois romances, roteiros audiovisuais e é criador da tira Os Passarinhos, publicada em sites e jornais desde 2009.
“O Livro dos Gatos” é seu primeiro livro infantil.
Twitter: @estevaoribeiro



Sobre a Llyr Editorial:
Llyr é o deus-mar da mitologia céltica da região onde hoje fica o País de Gales. Foi uma figura presente no grande épico chamado Mabinogion. E com suas benções que viemos trazer até vocês um mar de aventuras, um oceano de mistérios.Llyr Editorial é o selo de literatura especulativa da editora Vermelho Marinho. 
Coordenado por Ana Cristina Rodrigues, tem como missão apresentar ao público leitor histórias de qualidade e envolventes, sejam elas de Ficção Científica, Fantasia, Terror, Romance Sobrenatural, Steampunk…
Sua proposta é lançar novos autores e nomes consagrados, sempre buscando entretenimento com qualidade literária.



Infelizmente não estarei presente, mas quem tiver ido não deixe de me matar de inveja e conte como foi!



sábado, 20 de agosto de 2011

Esparcktos - A descoberta, de Sarah Linhares

"Uma jovem rodeada por mentiras e mistérios. 
Um mundo paralelo. 
Uma única chance.  
Em um piscar de olhos, tudo o que você acredita pode se despedaçar."

Adoro receber emails com novidades literárias, e fiquei particularmente feliz com esse, pois uma nova autora vai aparecer por aqui, e espero poder conferir a escrita dela em breve, pelo menos a sinopse é ótima. E ela é a Sarah Linhares, que com apenas 13 anos está lançando seu livro pela Editora Baraúna.



Sinopse:


Eu acordei do pesadelo. Não, eu não acordei. Eu queria acordar, mas minha opinião não vale mais nada.
Meu nome é Miranda, eu tenho infelizes dezesseis anos, recém-completados. Não, meu problema no momento não são as notas no colégio e nem achar o namorado perfeito. Eu sou uma criatura que eu imaginava ser incapaz de existir. E, acredite, não me orgulho disso.
Você não se orgulharia se tudo o que viveu fosse uma mentira. Mas eu não vou ser dramática, eu tenho que enfrentar a novata que virou meu mundo de cabeça para baixo; tenho que aceitar que minha melhor e fútil amiga e meu par para o baile são cheios segredos; tenho que aturar um intruso que tinha tudo para ser o inimigo, porem está ao meu lado, me lembrando a toda hora que não é agradável ser quem eu realmente sou.
Eu estou tendo que matar todas as lembranças de minha antiga vida para não ser morta.



Sobre Sarah 
A autora nasceu no ano de 1998 na cidade litorânea de Laguna, Santa Catarina. Atualmente morando em Sinop no Mato Grosso.
Descobriu ser possível unir seus sonhos com dimensões paralelas à sua paixão pela escrita. Em sua primeira obra literária, “Esparcktos: A descoberta”, ela tem como objetivo transmitir a todos um mundo onde seus desejos podem ser reais, e onde a fantasia é a peça chave.



"Se você descobrisse ser algo que para o resto da humanidade é uma lenda, se você descobrisse que sua vida foi uma mentira, que seus amigos não são o que você imagina, que seus pais tinham segredos dos quais pagaram com a vida, mesmo que não tivesse certeza de mais nada, ainda assim você largaria tudo para ir atrás de um anel que pode ser sua salvação? Ou não?"

Não deixem de conferir o livro no Skoob, o twitter da Sarah e o blog dela.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Lançamentos no Fantasticon

O Fantasticon começa amanhã, na Biblioteca Viriato Correia em São Paulo, e contará com uma excelente programação, que vai de palestras a lançamentos de livros, sem contar com os grupos que se encontrarão pelo próximo final de semana, o qual não poderia deixar de registrar, a equipe da Revista Fantástica!
Infelizmente, não estarei em São Paulo pelos próximos três dias, mas trago a lista de lançamentos que vocês (que forem) poderão encontrar por lá:


  • “Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica 2010”, de Marcello Simão Branco e César Silva (Devir)
  • Apenas uma Taça, um Brinde ao Mestre Stocker”, de Georgette Silen (Estronho)
  • “Apocalipse Zumbi”, de Alexandre Callari (Évora)
  • “Asgard: A Saga dos Nove Reinos”, Sóira Celestino e Evandro Guerra (orgs.) (Jambô)
  • A Bondade dos Estranhos”, de João Barreiros (Tarja)
  • As Cidades Indizíveis”, Nelson de Oliveira e Fábio Fernandes (orgs.) (Llyr)
  • “Crianças da Noite”, de Juliano Sasseron (Novo Século)
  • “Crônicas de Tormenta”, de J.M. Trevisan, (org.) (Jambô)
  • Deus Ex Machina, Anjos e Demônios na Era do Vapor”, Cândido Ruiz, Tatiana Ruiz e M. D. Amado (orgs.) (Estronho)
  • Dieselpunk”, de Gerson Lodi-Ribeiro (org.) (Draco)
  • “Dupla Fantasia Heróica 2”, de Christopher Kastensmidt e Roberto de Sousa Causo (Devir)
  • “Enciclonérdia”, de Luís Flávio Fernandes e Rosana Rios (Panda)
  • “Encontro com Rama”, de Arthur C. Clarke (Aleph)
  • “A Fada e o Bruxo”, de F. Medina (Livrus)
  • “Ficção Científica – Um Gênero para a Ciência”, de Roberto Belli (Edifurb)
  • A Grande Criação de Nicolas”, Dennis Fabricio (Llyr)
  • A Guardiã da Memória”, de Gerson Lodi-Ribeiro (Draco)
  • Os Herdeiros dos Titãs”, Eric Musashi (Giostri)
  • Imaginários 4”, Erick Santos Cardoso (Draco)
  • “O Incrivel Mundo do Senhor da Chuva”, de Janda Montenegro (Vermelho Marinho)
  • “Ira dos Dragões e outros contos”, de Thiago Tizzot (Arte & Letra)
  • Jarbas”, de André Bozzetto Jr. (Estronho)
  • “Lerulian: A Queda da Cidade dos Homens”, de Dan Albuk (Novo Século)
  • Livraria Limítrofe”, de Alfer Medeiros (Estronho)
  • O Livro dos Gatos”, de Estevão Ribeiro (Llyr)
  • “Nova Edição da Coleção”, H. P. Lovecraft (Iluminurias)
  • “Melhores Novelas Brasileiras de Ficção Científica”, Roberto Causo (org.) (Devir)
  • “O Misterioso Sr. Spines – Asas”, Jason Lethcoe (DCL)
  • “O Poder do Fogo”, de Khêder Henrique (Novo Século)
  • “O Portal“, de Eliane Raye (Vermelho Marinho)
  • Reino das Névoas”, de Camila Fernandes (Tarja)
  • “Sagas Vol. 2 – Estranho Oeste”, antologia (Argonautas)
  • “Sagas Vol. 3 – Martelo das Bruxas”, antologia (Argonautas)
  • “O Segredo da Guerra”, de Thiago Tizzot (Arte & Letra)
  • Steampink”, Tatiana Ruiz (org.) (Estronho)
  • Tempos de Algória”, de Richard Diegues (Tarja)
Se alguma alma caridosa for e quiser registrar o que viu no evento, pode entrar em contato comigo que terei o imenso prazer em publicar aqui no blog!