quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

A fantástica fábrica de chocolates, de Roald Dahl

Autor: Roald Dahl
Editora: Martins Fontes
Páginas:  166

Nota: ★★★★★ 


Se você (ainda) não leu o livro, certamente assistiu uma das duas versões para o cinema, ou até mesmo as duas. Eu, particularmente, acho incrível a magia do primeiro (1975)! Sou fã da história! Mas também sou fã de Johnny Deep + Burton e soube assistir e gostar da versão de 2005, apesar das mudanças.
O livro é igualmente mágico!!! Li e fiquei absolutamente encantada com tudo. Me senti o próprio Charlie entrando naquela fábrica gigantesca e todas as salas e doces que só uma criança poderia inventar! E os umpa-lumpas!!! E as aventuras do Wonka pelo mundo afora! Uau!
Esse livro li em pdf, infelizmente não o comprei, mas está na lista de desejos, com certeza.

       — Vejam ali! — exclamou o Sr. Wonka, dançando para cima e para baixo e apontando o grandioso rio marrom com a bengala de castão de ouro. — É tudo chocolate! Cada gota desse rio é pura calda de chocolate quente da mais alta qualidade! Chocolate suficiente para encher todas as banheiras do país inteiro! E todas as piscinas, também! Não é extraordinário? Dêem uma olhada nos canos! Eles sugam o chocolate e o transportam para todas as outras salas da fábrica aonde ele é necessário! Milhões de galões por hora, minhas caras crianças! Milhões e milhões de galões!
     As crianças e os pais estavam tão perplexos que nem conseguiam falar. Estavam tontos. Bestificados. Deslumbrados e estarrecidos. Estavam totalmente abalados diante da imensidão daquilo tudo. Só conseguiam ficar ali parados, com os olhos arregalados!
     — A cachoeira é a parte mais importante de tudo! — continuou o Sr. Wonka. — Ela mistura o chocolate! Ela bate, amassa, mexe e remexe! Faz o chocolate ficar leve, espumoso! Nenhuma outra fábrica no mundo mistura o chocolate em cachoeira! Mas esse é o único jeito certo de fazer isso! O único! E das minhas árvores, vocês gostam? — exclamou, apontando com a bengala. — E meus arbustos? Não são bonitinhos? Digo e repito: detesto a feiúra! E, tem mais, é tudo comestível! Cada coisa é feita de algo diferente, delicioso! E as campinas? Vocês gostam da grama e dos meus copos-de-leite? A grama que vocês estão pisando, meus queridos, é feita de um novo tipo de açúcar mentolado que eu mesmo inventei! Chamo de verdoce! Experimentem uma folhinha de grama! Por favor, provem! É deliciosa!


A edição da Martins Fontes é ótima, tem um monte de ilustrações, todas fofas! Créditos para Cláudia Scatamacchia. 

Charlie

Charlie é um menino incrível. Sua família é muito pobre, mesmo assim ele é muito carinhoso e bondoso. Ele mora com os pais e os quatro avós, todos estes velhinhos que dividem uma só cama. Seu pai perde o emprego, e a alimentação fica cada vez mais escassa. Todo aniversário do pequeno Charlie, ele ganha uma barra de chocolate Wonka, o melhor chocolate do mundo. E nesse aniversário não poderia ser diferente, apesar dos pesares. Mas há uma esperança a mais. O dono da fábrica, Willy Wonka lançou uma promoção: em cinco barras de chocolate de todo o mundo há cupons dourados que valem a entrada na fábrica (que estava fechada por muito tempo, mas misteriosamente funcionava) e um estoque infinito de doces Wonka. Imaginem toda a família de Charlie esperando pelo momento no qual ele abriria sua barra de chocolate e veria um cupom dourado! Imaginaram? Pois é, infelizmente ele não encontrou. Quatro dos cupons foram achados, e não se tinha mais esperanças quando Charlie achou uma moeda no meio da neve. Ele pegou, esperou pra ver se alguém ali por perto dava falta, mas como ninguém o fez, ele guardou. Pensou em levar pra casa, mas o desejo por um chocolate Wonka e mais, encontrar o último cupom dourado foram maiores. E ele comprou seu chocolate. Melhor de tudo: ele realmente achou o cupom!!!
Todos ficaram tão felizes, porque naquela situação tão difícil, o pequeno teria uma felicidade imensa. Então Charlie e seu Vovô José (iupi!!) vão no dia marcado fazer a visita a fábrica. E aí que começa mesmo o livro.

Acredito que não preciso dizer o fim, afinal é o mesmo da primeira versão cinematográfica. A leitura foi um imenso prazer! Ler todos aqueles doces meio loucos, aquelas crianças chatas se ferrando na fábrica, e ver a imensa felicidade de Charlie por ganhar a fábrica e salvar toda família foi o mesmo que eu ganhar a fábrica e salvar a minha!
Adorável!Encantador!!!!!Recomendo a todos!

Ps: se você for uma formiga, como eu sou, vai ficar com fome enquanto lê rs

 





Essa resenha faz parte do Desafio Literário, confira minha lista aqui.
Tema de Janeiro: Literatura Infanto Juvenil
Confira as outras resenhas no blog.

10 comentários:

batatatransgenica disse...

eu fiquei com fome enquanto lia sua resenha! adorei o entusiasmo, também sou fã da primeira versão, sem deixar de gostar da segunda.

lyani disse...

Morro de vontade de ler esse livro. Sua resenha ficou ótima!!! E me deu vontade ainda maior de ler!
Obrigada pelo comentário no meu blog!
Volte sempre :)
Bjos,
Ly

Daniela! disse...

Que resenha linda.

E a escolha literária também!

Preciso ler esse livro, adoro o filme com Deep e o de 75 eu vi no cinema em casa há muitos anos.

Beijos

disse...

O livro parece ser uma delícia (desculpe o trocadilho).
As ilutstrações são maravilhosas.
Parabéns pela resenha.

Abs, Rê

Vivi disse...

A cores da capa dão uma vontade de imensa de comer. Um acontecimento gastrônomico parece ser o livro. Lendo resenhas tão bem feitas, a curiosidade fica pra lá de aguçada. Parabéns!

Bjs

bibs disse...

obrigada gente! =D

Aline Maziero disse...

ah, quero muito ler este livro. a história é fantástica. bjs

Larissa, Lara, Lalá, .... disse...

Eu gosto muito dos filmes, mas ianda nao li o o livro, mas ja' esta' na minha lista!!! Linda resenha. Beijos

Gabi Alkmin disse...

Amei a resenha! Também coloquei o livro na lista para janeiro e sua resenha me deixou mais empolgada para ler! A história parece ser linda - o filme, pelo menos, é! hehe... O duro vai ser ler sem comer chocolates - acho que terei que quebrar o regime, haha.

Beijos!

Lígia disse...

Parabéns pela escolha e pela resenha. É tão legal ver que bastante gente escolheu livros do Roald Dahl (meu escritor favorito) para o tema desse mês do DL :D
Só discordo de você em relação às ilustrações. Prefiro as ilustrações do original inglês, feitas pelo Quentin Blake ;D

Beijo