terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Coraline, de Neil Gaiman


Autor: Neil Gaiman
Ilustração: David McKean 
Editora: Rocco
Páginas:  160


Nota: ★★★★★ 
Coraline eu conheci através do filme homônimo. Fiquei tão viciada que fiz o namorado baixar o jogo de PS2 pra mim rs. Um tempo depois achei algumas bonecas dela e dos outros personagens que estão certamente na minha Wishlist 2011.
Já deu pra perceber que eu gosto né? Então, finalmente peguei pra ler esse livro!
Depois da leitura, percebi que a adaptação pro cinema não deixou nada a desejar, até me ajudou a visualizar algumas personagens.


Este, segundo Gaiman, foi seu primeiro livro infantil. E foi um ótimo começo, mesmo!
Conhecemos Coraline Jones, uma menina que vive meio sozinha. Digo isso porque seus pais, apesar de trabalharem em casa, mal dividem o mesmo espaço e não dão o mínimo de atenção para a filha. Sua única diversão é explorar, algo que ela faz muito bem. De mudança para uma cidade nova, Coraline se encontra no completo tédio, já que não tem nada o que fazer e nem com quem brincar até as aulas na escola nova começarem. E o que fazer numa hora dessas? Explorar, obviamente! Nesse meio tempo descobre o que há do lado de fora da casa, descobre os exóticos vizinhos que tem, e num dia de chuva, contabiliza vários objetos, incluindo quantas portas e janelas há na casa. Dentre todas as portas, há uma muito pequena, que quando aberta dá para uma parede de tijolos. Intrigada com essa porta e querendo muito saber onde vai dar, Coraline acaba por encontrar um mundo paralelo ao seu, em que há uma outra mãe, um outro pai, um outro tudo para tudo que no seu mundo normal havia. Sem saber nos perigos que a aguardam, Coraline explora esse outro mundo, e se vê presa nos desejos de uma outra mãe, alta, magra e  com olhos de botões.
Não quero contar mais nada, pra não estragar a leitura de ninguém.



Comecei a escrever meu primeiro livro infantil há mais de dez anos. Era para minha filha Holly, que tinha cinco anos há época. Queria uma garota como protagonista, e gostaria que ela fosse surpreendentemente assustadora. Parti daí para escrever uma história sobre uma heroína chamada Coraline. Achava que a história teria cinco ou dez páginas, no máximo, e tinha, na verdade, outros planos para o desenvolvimento da trama. Quando as pessoas começaram a lê-la, no entanto, descobri que era uma história de aventuras para as crianças, mas que provocava pesadelos nos adultos. Coraline é o livro mais estranho que escrevi, e o que levei mais tempo para fazê-lo, mas também é aquele do qual mais me orgulho.



As ilustrações de Davi ficaram perfeitas, entraram totalmente no clima da história que estava sendo narrada (mesmo eu achando os personagens do filme mais bonitos). A narrativa flui muito bem, o autor é fantástico! Virei fã de Gaiman! Devo confessar que é o primeiro livro do autor que eu leio, e só me fez desejar mais pelos outros (um pecado! tenho Sandman quase completo num cd aqui e não li por falta de costume ao traço, mal de que leu apenas mangás durante muitos anos). 






E acredite-me, quando ele diz "surpreendentemente assustadora" é a mais pura verdade. Gostaria muito de ter conhecido essa história quando era criancinha, se eu já tinha medo da risada da madrasta da Branca de Neve, imagino como não seria com a outra mãe! rs Se você às vezes pensa como seria sua vida com uma outra família, depois desse livro você não vai ter mais tanta vontade de saber, que o digam as crianças fantasmas.


Mais um infanto juvenil que não se prende ao público menor de idade, Coraline é recomendadíssimo para todas as idades. Mesmo! Adorável, assustador, emocionante! Não deixe de conhecê-la. Coraline é admirável!



  A velha chave escura era mais fria do que todas as outras. Coraline enfiou-a na fechadura. Ela girou facilmente, com um clunk satisfatório.  Coraline parou e escutou. Sabia que estava fazendo algo errado e tentou ouvir se sua mãe estava voltando, mas não ouviu nada. Então, pôs a mão na maçaneta, girou-a e finalmente abriu a porta.  Ela dava para um corredor escuro. Os tijolos haviam desaparecido como se nunca tivessem estado lá. Um odor frio e bolorento passava pelo vão aberto: cheirava a alguma coisa muito velha e muito lenta.  Coraline atravessou a porta.



Nota:  A graphic novel Coraline ganhou os prêmios Hugo Award e Nebula Award de melhor novela de 2003 e o Bram Stoker Award de melhor trabalho de novos escritores de 2002.




Esta resenha faz parte do Desafio de Férias, hospedado pelo Garota It.

7 comentários:

Kézia Lôbo disse...

hey... quero tanto ler esse livro... ja vi o filme.... mas quero muito ler, mas ainda não consegui...
Muitoooo boa a resenha! XD

Renata G. de Souza disse...

Parece um livro assustador >.< Fiquei curiosa =P
Nem vi o filme =/ Vou tentar baixar para ver ^^
Adorei a resenha \o
Bjus =*

Luana Farias disse...

Sera que as crianças menores não vão se assustar? Eu até q me enteresei pela história.

Bjs

bibs disse...

@Kézia
leia assim que puder, o livro é ótimo!!!

@Renata
parece mas nem é tanto assim xD baixe pra ver mesmo, vc vai ficar encantada!!

@Luana
acho que as crianças irão se prender mais à aventura que a esse suspense todo ^^

Mariana disse...

Estou louca para começar a ler os livros do Neil *_*

Não sou mto fã de livros infanto-juvenil, mas esse me pareceu bem interessante, principalmente por parecer 'assustador'

Bjs
Mari
Psychobooks

Rafael disse...

Hey, Bibs!
Gostei da resenha. o/
Huhum... vai pro Skoob, agora. Fiquei com vontade. :D
Não assisti ao filme, nada. Se achar o livro na biblioteca, vou ler. ^^

@rafaschiabel
http://lembradaquelahistoria.blogspot.com/

Mach disse...

Quando comecei a colecionar livros eu queria muito ler esse, só que a vontade passou, não pela a historia, mas sim pela a capa, a capa é tao feia, que não consigo dar nem uma chance pra ele, tirando isso, otima resenha amor :D

# Camila
Blog Cookies