quinta-feira, 7 de julho de 2011

Noobnews Fantásticas: lançamentos da Llyr Editorial

Foi divulgado hoje pelo twitter da editora, a lista dos lançamentos que acontecerão durante o Fantasticon.
Mas opa, não conhece ainda a Llyr?

A Llyr Editorial surgiu em 2011 como um selo de literatura especulativa da Vermelho Marinho. O selo é coordenado pela Ana Cristina Rodrigues e visa publicar boas obras de ficção científica, terror, romance sobrenatural, steampunk... Saiba mais sobre ela aqui.

O Fantasticon está marcado para os dias 12,13 e 14 de agosto, na Biblioteca Viriato Correa, em São Paulo - quem puder compareça, tirem muitas fotos e me faça inveja pelo twitter rsrs.




Na ocasião, teremos a Llyr lançará os seguintes livros:
“O livro dos gatos” de Estevão Ribeiro – cinco gatos espalhados por uma grande cidade unidos para remediar uma tragédia. Uma fábula para adultos e crianças. Mais informações aqui.
“As Cidades Indizíveis”  coletânea organizada por Nelson de Oliveira e Fabio Fernandes – ficções urbanas, nove viagens insólitas por universos fantásticos e surreais. Mais informações aqui.
“A grande criação de Nicolas” de Dennis Vinicius – Nicolas gostava de criar personagens e inventar histórias. Porém, no dia em que a Morte cruzou o seu caminho, o poder de sua imaginação foi desafiado. Mais informações em breve.
“O Vento Norte” de Cláudio Villa – Colleen Northwind tinha tudo, menos o que mais queria.  Quando o reino de Aldarian é ameaçado, seu desejo de liberdade será posto a prova nos mares tomados pelas águas sombrias. Mais informações em breve.
Além dos lançamentos, a editora da Llyr Editorial, Ana Cristina Rodrigues, participará da mesa-redonda “História, matéria-prima da Literatura Fantástica” e Nelson de Oliveira, organizador de ‘As Cidades Indizíveis’, estará em um bate-papo sobre ‘As fronteiras da Literatura Fantástica’.
Mais informações sobre o evento no site oficial.
Fonte

Ps: a Ana Cristina fez uma twitcam pelo twitter da Llyr, e disse que ainda não recebeu NADA steampunk. Se você tem algum material do gênero, manda pra ela (mas só depois da Bienal do Rio, ok?!)